Primeira Guerra Mundial

Share

Primeiro, antes de falar da Primeira Guerra Mundial temos que entender como estava a situação da Europa, que desde o final do século XIX viviam um momento glorioso… onde eles se consideravam uma elite intelectual do mundo moderno. Na cabeça deles, o seu modo de viver era o correto, suas tecnologias eram superiores, seus métodos corretos e por isso eles se consideravam civilizados. Seu modo de vida representava a civilização. Conforme já vimos em outros textos, isso deu suporte para a Europa começar a colocar em prática o imperialismo, uma doutrina onde na cabeça deles estava tudo certo eles invadirem outra terra e dominar essa terra, pois ao fazer isso eles estavam levando a civilização para essa terra. Por esse motivo que eles invadiram terras como as da África e saíram ocupando territórios e óbvio que ao dominar o território eles aproveitavam para recolher todos os recursos naturais e matérias-primas desses locais. Quando todos os locais disponíveis se esgotaram, era o terreno perfeito para começar uma guerra.

Além dessas teorias discriminatórias e soberbas que permeavam o imaginário do povo europeu, desde 1870, a Europa viveu a última guerra, travada entre a Prússia e a França. Desde então, as nações mais ricas da Europa verdadeiramente partilharam a África e a Ásia, cada uma requisitando uma colônia para si. Nesse período, conhecido como “paz armada” (pois todas as nações mais ricas estavam em paz mas armavam os seus exércitos para caso fosse necessário defender os seus interesses) viviam um intenso sentimento de nacionalismo, que verdadeiramente moviam as nações. Desta forma, podemos citar os seguintes fatores como influências da Primeira Guerra Mundial:

  • Concorrência econômica e imperialista: Onde uma nação expandia o seu poder econômico, obrigava a outra a recuar. Nesse embate, podemos ver claramente a Grã-Bretanha e a Alemanha, esta última que por ter se industrializado tardiamente, tentava ao máximo expandir seu poderio;
  • Pan-germanismo: sentimento que buscava unir os povos de origem germâmina (Áustria-hungria, Alemanha, etc) sob o poder da Alemanha;
  • Revanchismo Francês: a França queria recuperar os territórios perdidos na guerra franco-prussiana;
  • Pan-Eslavismo: Desejo de unir os povos de origem eslava sobre a proteção Estado russo;
  • Grande Sérvia: Da mesma forma que o pan-eslavismo, os sérvios também queriam reunir bósnios, croatas e eslovenos em um grande país. Novamente o desejo de nacionalismo falava mais alto. Em geral, eles lutavam contra a dominação do governo Turco-Otomano e Austríaco sobre eles.

Olhando o parágrafo acima, vamos falar sério. A França era a única que tinha motivo para odiar a Alemanha pelos territórios perdidos no passado. A Inglaterra odiar a Alemanha era coisa de recalcada. No outro lado da moeda, O Império Turco-Otomano queria esganar a Rússia pelas ideias que ela jogava para cima dos seus povos conquistados. Esse mesmo país nem deveria ter participado dessa guerra porém a França recrutou a Rússia para participar da Guerra pois a industrialização russa foi completamente financiada pela França, então ela deveria participar da guerra para saldar sua dívida. Olhando assim por cima, temos potencial para duas pequenas guerras, né? Legal… compreendem por que a Primeira Guerra Mundial é extremamente sem noção? E mesmo que os países achassem justificáveis se matarem por quatro anos… o que diabos a Áustria-Hungria estava fazendo no meio da guerra?? HAHAHAHA…

Esquema mostrando como funcionavam as trincheiras utilizadas na guerra (clique para ampliar)
Esquema mostrando como funcionavam as trincheiras utilizadas na guerra (clique para ampliar)

Assim, com esses sentimentos fervendo na alma, cada nação buscava fazer seus tratados de paz a fim de angariar aliados. Assim, temos de um lado a Tríplice Entente: liderada pela Inglaterra, França, Rússia e demais nações com etnias eslavas ou que queriam se libertar do Império Turco-Otomano. E do outro lado, a Tríplice Aliança: liderada pela Alemanha, junto com a Áustria-hungria, O Império Turco-Otomano (pois tinham um inimigo em comum que era a Rússia) e a Itália (que troca de lado depois de negociar com a Inglaterra dizendo que acreditava que estavam se defendendo e ao atacando).

Ordem dos acontecimentos:

     Não considero importante explicar minuto a minuto da guerra tal como um resumo de uma partida de futebol, mas vou listar abaixo os momentos mais importantes na cronologia da guerra… depois de entender os motivos acima, verão que a guerra tinha que acontecer, e o motivo poderia ser qualquer um desde o assassinato do Francisco Ferdinando até o uma espinha de peixe na garganta do Embaixador Francês.

  1. A paz armada tem fim quando o herdeiro do trono Austro-Húgaro é assassinado em Sarajevo (Sérvia), por um estudante bósnio simpatizante da Sérvia.
  2. Assim, a Áustria-hungria, com o apoio da Alemanha, declara guerra à Sérvia (Lembrando que a sérvia não ia com a cara da Austria-Hungria pois ela dominava a Bósnia-Hezergovina onde moravam… os… os… Bósnios).
  3.  Inicia a primeira fase da guerra: Movimentação. Onde as tropas são movimentadas rapidamente para ocupar territórios o que causa muitas baixas.
  4. A Alemanha declara guerra à França e Invade a Bélgica para chegar à França.
  5. A Grã-Bretanha declara guerra à Alemanha (por causa da Bélgica).
  6. O Império Turco-Otomano se vê sozinho tendo que atacar a Sérvia e a Rússia.
  7. A Itália troca de lado, passando à aliada da Entente.
  8. Começa a segunda fase da guerra: Guerra de trincheiras, onde as tropas se entrincheiram, não tendo quase nenhum avanço, mas causando muitas mortes.
  9. A Rússia, cansada, abandona a guerra, pois estavam com problemas sociais que iriam culminar na Revolução Russa (a coisa estava russa para eles…).
  10. Os EUA entram na guerra, dizendo que isso era devido a um suposto ataque da Alemanha aos navios americanos.

Considerações sobre a Guerra

     A presença dos EUA foi fundamental para por fim à guerra por ser uma nação que ainda não havia sofrido nenhuma baixa. Os “States” tinham adotado uma postura de neutralidade, embora tenha acumulado enormes quantias de dinheiro como vendedor de suprimentos para a Entente. Sacanagens a parte, os EUA não sai da primeira guerra como grande vencedor, mas deu um passo importante na direção de um dia tornar-se uma grande potência. Nesse momento, ele aprendeu que melhor do que fazer guerra em casa é fazer guerra na casa dos outros. Tirando a participação americana, a verdade é que a parte mais complicada da guerra deu-se após a guerra, em 1919, quando os representantes das nações vitoriosas se reuniram na Conferência de Paris, onde os vencedores da guerra (Grã-Bretanha, França e EUA) redigiram o Tratado de Versalhes.

Consequências da Primeira Guerra Mundial

Mapa temático mostrando todos os territórios disputados ao fim da guerra.
Mapa temático mostrando todos os territórios disputados ao fim da guerra.

Por culpa do Tratado Versalhes, podemos perceber claramente que ele deixou a porta aberta para ocorrer uma Segunda Guerra Mundial. Em resumo, o tratado de Versalhes não apenas determinava quem eram os perdedores da guerra os forçando a assinar um tratado de paz, mas tratava os perdedores como culpados pela guerra. Esse tratado fez com que todos fossem punidos de uma forma ou outra, mas a culpa recaiu principalmente sobre a Alemanha, por isso ela sofreu mais que as outras nações:

  • Depois da Guerra, a Áustria-Hungria, foi divida em três países: Áustria, Hungria e Tchecoeslováquia;
  • O Império Turco-Otomano foi reduzido ao território da Turquia, sendo o restante do seu território dividido em diversas nações e ficando com boa parte do território sob o controle da França.
  • A Itália não sofreu nenhuma sanção, mas não ganha as colônias que prometeram, fato que leva a Itália a se aliar ao Eixo na segunda guerra mundial
  • Por fim: a Alemanha sofre as maiores sanções tendo o seu território reduzido à 100 mil homens, sendo proibida de ter armamentos estratégicos tais como canhões, submarinos e tanques, devolveu os territórios da França e… para finalizar teve que pagar uma grande indenização à França e Inglaterra. Obviamente, isso vai gerar um enorme descontentamento para a Alemanha, o que vai gerar um dos motivos que levarão a Alemanha a enfrentar uma segunda guerra mundial.
  • Por outro lado, a Rússia não sofreu sanções pelo Tratado de Versalhes, mas participar de uma guerra onde ela não tinha capacidade (e sequer armamentos) para participar. Fez com que seu povo se rebelasse, derrubasse seu governante e instaurasse o regime comunista, é a Revolução Russa que estava em ação.

     O tratamento dado à Alemanha com o fim da Primeira Guerra Mundial, a soberba das demais nações vencedoras do conflito e o intenso sentimento de nacionalismo que existia tanto nas nações vencedoras e perdedoras acaba pedindo uma revanche para encerrar as discórdias que uma guerra apenas não conseguira enterrar.

Clique para fazer download dos Slides de Sala de Aula

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *