Os primeiros anos da colonização do Brasil

Share

Muy bien… muitos reclamam da falta de interesse em Portugal administrar o Brasil como se isso justificasse boas partes dos problemas atuais do Brasil. O engraçado é que na verdade, Portugal no início realmente não estava com a mínima vontade de investir aqui. Desde a descoberta do Brasil em 1500… somente em 1530 é que nosso país passa a integrar as preocupações portuguesas. Ou seja, nos primeiros anos da colonização do Brasil, Portugal não estava preocupada com o Brasil.A resposta para isso é simples, o momento onde nosso país foi descoberto, era o auge da corrida colonialista, a primeira viagem de Vasco da Gama à Ásia rendeu 5.000% de lucro. Isso demonstra que era muito mais rentável continuar investindo tempo e dinheiro nas expedições à Ásia do que no território brasileiro que não iria render lucros imediatos, uma vez que em uma primeira vista ninguém localizou aqui ouro e outros metais preciosos.

Passado esses trinta anos, os lucros das viagens marítimas começaram a decair, era necessário procurar logo uma nova forma de obter lucros, nesse momento é  que iniciaram as primeiras expedições ao solo brasileiro. Essas expedições eram poucas, em alguns casos muito dispersas e de longe conseguiam o objetivo desejado.  Dentre as principais expedições podemos encontrar as expedições Guarda-Costas, e as expedições para extração de Pau-Brasil. Nessa última, o nome explica tudo, já a primeira, tinha tudo para dar errado, eram poucos barcos, com ordens de vigiar toda a costa brasileira a fim de impedir o contrabando de pau-brasil pelas nações que morriam de inveja do tratado de Tordesilhas… tal como a França e Holanda.

Mapa mostrando a rota das navegações portuguesas na Ásia. (clique para ampliar)

A extração de Pau-Brasil

A extração da cobiçada madeira que servia para a produção de tintas vermelha dava-se através do auxílio da mão e obra indígena. Os índios cortavam a madeira e deixavam em poucas feitorias de comércio. Como era necessário deslocar-se para extrair a madeira, a extração de pau-brasil em nada ajudou a colonização brasileira. Já no outro lado, os índios recebiam praticamente nada em troca por seu serviço.  A moeda era o escambo, ou seja, troca por mercadoras, que geralmente era a carga inútil ou de pouco valor no navio (tesoura, punhal, espelhos, etc).

O início dos monopólios da coroa

Uma coisa que temos que compreender é a lógica da exploração colonial.  A metrópole, no nosso caso era Portugal, procura explorar de todas as formas a colônia, ou seja, o Brasil. Uma das formas de assegurar que somente a metrópole consiga extrair recursos da colônia, é a criação de um monopólio. Assim que Portugal vê que as terras brasileiras poderiam dar lucro com a existência do Pau-Brasil, ele declara a exploração da terra como monopólio da Coroa portuguesa, isso significa que ninguém poderia retirar a madeira do solo brasileiro sem a autorização da Coroa portuguesa.

A colonização efetiva do território

De acordo com o tratado de Tordesilhas, Portugal e Espanha eram os únicos donos das terras americanas. Bom… pare e pense: por que essas duas nações receberam todo esse privilégio? Bom, se você não achou nenhuma resposta irrefutável, exceto a proteção da Igreja Católica, imagine que nações como a Holanda, Inglaterra e a França também não respeitavam esse privilégio e disputavam territórios americanos com portugueses e espanhóis.

Com o passar do tempo, quando o comércio com o Oriente começou a perder força, Portugal finalmente achou que estava na hora de prestar atenção à colonização do território americano. Somente em 1530 é que Portugal envia as primeiras expedições para território brasileiro, a primeira delas, era chefiada por Martim Afonso de Souza. Os objetivos dessa expedição buscavam o reconhecimento geográfico do território, combater corsários estrangeiros, procurar metais preciosos e… iniciar a ocupação da terra e sua exploração econômica. Obviamente, era mais fácil colonizar o território do que patrulhar a costa com navios, por esse motivo os únicos objetivos alcançados com sucesso foi a fundação da primeira vila do Brasil, a vila de São Vicente.

Açúcar: uma razão para colonizar

Nesse período, o cultivo do açúcar aparece como uma resposta às preces portuguesas. O açúcar era um produto de grande procura na Europa. A cultura da cana-de-açúcar era centrada na região litorânea, desta forma Portugal iniciava uma empresa colonial planejada dentro das diretrizes do sistema colonial. Em 20 anos a colonização açucareira atingiu lucros rápidos, em 1571, Portugal declarou monopólio comercial sobre a colônia.

O monopólio comercial assegurava que a colônia poderia fazer comércio somente com a metrópole, desta forma, os únicos navios autorizados a comprar produtos da colônia eram os portugueses e por consequência o Brasil somente poderia comprar produtos industrializados dos navios portugueses. Criava-se assim um sistema onde Portugal comprava produtos coloniais à preços baixos, e vendia produtos metropolitanos à preços altos.

 

Clique aqui para fazer o download dos slides de sala de aula

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *